Bicicleta elétrica: o que é, como funciona e como usar

As bicicletas têm sido cada vez mais requisitadas – e não é apenas para as atividades físicas, mas, sobretudo, para a realização de deslocações diárias mais sustentáveis. Quem é adepto da filosofia dos transportes ecologicamente corretos provavelmente já ouviu falar na bicicleta elétrica. Mas, apesar de já famosas, a verdade é que nem todos sabem como funcionam e quais são as suas principais características.

Por isso, trazemos este guia completo que explica tudo o que precisa saber sobre as bicicletas elétricas e sobre como podem tornar-se em importantes aliadas no seu quotidiano.

O que é uma bicicleta elétrica?

A bicicleta elétrica é como uma bicicleta comum, porém equipada com um motor e uma bateria, que pode ser de lítio ou de chumbo. Ou seja, é um veículo híbrido, que pode ser utilizado de forma mecânica, ao pedalar, ou de forma elétrica, com o motor a funcionar.

Embora as diferenças entre uma bicicleta convencional e uma elétrica estejam centradas em poucas características, já são suficientes para fazer grandes mudanças na vida de quem a utiliza para se deslocar diariamente, seja para ir ao trabalho, à escola ou a qualquer outro lugar.

Sabemos que utilizar constantemente uma bicicleta tradicional pode ser um exercício físico bastante exigente, sobretudo se parte do seu trajeto diário inclui montanhas e desníveis, como uma subida íngreme. Em contrapartida, quando se está a usar uma bicicleta elétrica, os percursos tornam-se mais leves. Pode, por exemplo, oscilar entre a sua utilização mecânica ou motorizada, realizando assim uma viagem mais confortável.

Como funciona a bicicleta elétrica?

Agora que já sabe o que é uma bicicleta elétrica, poderá perceber como atuam os principais componentes que determinam o seu funcionamento.

Motor

O motor de uma bicicleta elétrica pode estar inserido em três principais regiões do veículo: na parte dianteira, traseira ou na extremidade superior. A sua posição irá influenciar algumas funções específicas na bicicleta.

  • O motor na parte dianteira fica posicionado dentro da roda dianteira, responsável pela direção da bicicleta. Neste caso, o funcionamento da bicicleta ficará semelhante ao de um carro com tração dianteira.
  • O motor na parte traseira interage com as engrenagens e as outras partes de trás da bicicleta. Deste modo, melhora a tração e dá ao ciclista maior segurança, graças à sua boa aderência às superfícies.
  • O motor na extremidade superior trata-se de um motor de acionamento central. Este direciona a energia e permite maior estabilidade nos trajetos.

Bateria

Como dissemos mais acima, a bateria da bicicleta elétrica pode ser de lítio ou de chumbo. Mas sabe quais são as suas diferenças? Estas relacionam-se, sobretudo, com o seu peso, a sua durabilidade e a sua autonomia.

  • Bateria de lítio: deve ser utilizada até ao fim antes de receber uma recarga. Modelos de bicicleta com bateria de lítio são mais leves.
  • Bateria de chumbo: é necessário recarregá-la sempre antes do fim da carga, pois, caso contrário, não conseguirá “segurar” a energia. Se não fizer uso da mesma por um período igual ou superior a 6 meses, esta bateria será inutilizada.

Para carregar qualquer uma dessas baterias, basta retirá-las da bicicleta e conectá-las à ficha. Para aquelas pessoas que se deslocam em longos percursos, o ideal é ter mais de uma bateria à mão durante o trajeto.

Modos de aceleração

A função de aceleração da bicicleta elétrica permite o acionamento do motor para que o ciclista tenha a devida assistência durante o trajeto. Essa propulsão elétrica, como é chamada, pode ser de dois tipos: sensor de pedal assistido (PAS) e sensor de velocidade (acelerador).

  • Sensor de pedal assistido (PAS): o sensor é ativado quando o ciclista começa a pedalar. Nesse caso, o motor apenas será acionado caso a pessoa pedale. Feito isso, o impulso será sentido.
  • Sensor de velocidade (acelerador): o sistema elétrico é acionado sem a necessidade de se pedalar. Basta girar a manopla, assim como em uma motocicleta, para que o motor seja acionado.

Sensor de travão

Para que o ciclista tenha total segurança ao utilizar as bicicletas elétricas, todas devem possuir travões. Desse modo, quando o travão for acionado, o motor da bicicleta será automaticamente desligado, evitando-se acidentes.

Painel

O painel é uma peça essencial para uma bicicleta elétrica, pois permite que se visualize o nível da bateria, a velocidade da bicicleta, entre outras informações fundamentais para um percurso confortável e seguro.

Como deve ser a manutenção de uma bicicleta elétrica?

É recomendado que as bicicletas elétricas recebam manutenções preventivas a cada 3 ou 6 meses. Esta periodicidade deve ser cumprida corretamente, uma vez que o veículo possui diversos componentes que, caso não estejam em bom estado, podem comprometer a segurança do ciclista.

Certifique-se de que, a cada revisão, um técnico verifique todos os componentes elétricos, além das engrenagens, travões, quadro e guiador.

As principais vantagens da bicicleta elétrica

A bicicleta apresenta, por si só, inúmeras vantagens em relação a outros veículos: é sustentável, não polui o ambiente e permite-nos fazer atividades físicas que colaboram para uma melhoria na qualidade de vida. Mas, ao falarmos da sua versão motorizada, multiplicam-se os seus benefícios.

Listamos algumas destas vantagens para aqueles que estão à procura de uma bicicleta elétrica conseguirem tomar a melhor decisão na altura da compra:

1. Pedalar mais fácil e mais longo

Como mencionado ao princípio do artigo, a bicicleta elétrica permite ao ciclista movimentar-se com mais tranquilidade e facilidade por trajetos que possuem altos níveis de dificuldade. Dessa forma, os percursos tornam-se mais agradáveis, ainda que longos, pois serão muito menos cansativos.

2. Maior velocidade

Graças ao motor elétrico, esta bicicleta garante que o ciclista chegue mais rapidamente até ao seu destino. Ou seja, quanto mais pedala, maior o impulso e maior será a sua velocidade.

Naturalmente, há sempre um limite de velocidade aconselhado para este veículo que, uma vez atingido, fará com que o motor pare de impulsionar a
bicicleta. Mas não se preocupe: esta velocidade ainda é superior à de uma bicicleta comum.

3. Bicicleta para todas os momentos

Assim como as bicicletas tradicionais, as elétricas também possuem variedades para cada tipo de modalidade de ciclismo. É possível, por exemplo, encontrar modelos elétricos urbanos, para mountain bike, dobráveis, entre muitos outros.

4. Economia para os bolsos

Apesar de o valor de uma bicicleta elétrica ser maior do que o de uma bibicleta comum, o seu custo-benefício é sempre muito maior. Desse modo, dentro de pouco tempo poderá perceber o quanto poupou ao evitar os percursos de carro, de transporte público, entre outras modalidades, ao simplesmente optar por movimentar-se com o apoio de uma bicicleta elétrica.

Afinal, a manutenção de uma bicicleta é mais económica e não há qualquer despesa com bilhetes de viagem ou com combustíveis.

5. Garantia da realização do exercício físico

Mesmo sendo parcial ou totalmente motorizada, esta bicicleta ainda permite a realização de exercício físico de forma leve e quase imperceptível. Afinal, ao simplesmente ir de um ponto a outro, o ciclista pedala, exercita as pernas e o equilíbrio e, consequentemente, melhora a sua qualidade de vida.

Agora que já descobriu como funciona a bicicleta elétrica e conheceu todas as suas vantagens, gostava de aderir a esta ideia ecologicamente correta?

Diga-nos o que achou
1Gosto0Adoro0Haha0Wow0Tristeza0Aborrecido