Hoje é Dia da Mulher, não importa quando está a ler

Pode ser o domingo de Páscoa, um dia solarengo qualquer das férias de agosto ou o 25 de dezembro. Pode ser primavera ou outono, inverno ou verão. Fazer chuva ou estar sol. Não importa. Quando estiver a ler este artigo, lembre-se: o Dia da Mulher é hoje.

8 de março todos os dias, por um mundo mais justo

O problema da desigualdade de género atravessa gerações, desconhece fronteiras, não se importa com as classes sociais e, tão pouco, quer saber de orientações religiosas ou políticas. É um problema humano que não se encerra com a entrega de um ramo de rosas ou de uma caixa de bombons em datas comemorativas.

A definição de 8 de março como o Dia Internacional da Mulher parece, até, ter sido um grande feito, mas a verdade é que o calendário não bate certo. Todos os dias são 8 de março: ontem, hoje e amanhã. E depois disso, também.

Todos os dias são tempo de (re)lembrar os espaços que podem ser ocupados no feminino, porque as mulheres estão atuantes e vivas diariamente. Enquanto a igualdade de direitos e oportunidades não for uma realidade para todos, a data comemorativa deve estar na agenda do dia.

A Goldenergy é parte da mudança

Trabalhar de forma ativa pela igualdade de género, com os seus direitos e oportunidades, faz parte da mudança que devemos ver no dia a dia. Assim, e só assim, vamos conseguir dar à volta a problemas que ainda não nos permitem viver num mundo mais justo.

Na Goldenergy fazemos a nossa parte por um mundo melhor para todos. E fazemos todos os dias.

A nossa missão cumpre-se ao lado das mulheres

Nós, que fazemos a Goldenergy, estamos verdadeiramente certos da nossa vontade de transformar o mundo num espaço melhor. Acreditar nisso é parte do nosso ADN e trabalhar para isso é a nossa missão. Não sabemos fazer de forma diferente. Temos um compromisso com o equilíbrio, em todas as suas formas, e sabemos que precisamos de liderar a mudança para mudar a realidade.

Gostamos de firmar a nossa posição a favor da igualdade de género e acreditamos que a questão deve saltar do contexto familiar e social para o empresarial. É por isso que assinalamos o 8 de março todos os dias.

Para nos posicionarmos a favor da mudança, damos o nosso testemunho: mais de 70% das pessoas que compõem a nossa equipa são mulheres que se inserem no mercado moderno atrás dos seus direitos e da paridade salarial. As nossas cadeiras de liderança também falam por nós: 67% dos nossos cargos de direção são ocupados por elas.

Carina Martins é a nossa responsável de Recursos Humanos e, no vídeo, explica-lhe como encaramos a importância de inserir os valores de igualdade na nossa empresa.

A mudança faz parte de si

O 8 de março só foi marcado no calendário como o Dia da Mulher em 1975, mas tem raízes históricas bastante mais profundas. Raízes operárias, que remontam à Revolução Industrial, altura em que as mulheres trabalhadoras lutavam pelos seus direitos. Raízes políticas e sociais, que relembram as manifestações femininas pelo direito ao voto. Raízes progressistas, da marcha de mulheres contra a fome e a Primeira Guerra Mundial, que deram o pontapé inicial para a Revolução Russa. E tantas, tantas outras raízes.

Os direitos que herdamos hoje, devemos a todas essas mulheres que lutaram antes de nós. Sem elas, uma empresa como a nossa, que acredita em valores de igualdade, não existiria.

Também devemos muito a si, que trabalha connosco ou que é nosso cliente. Porque sem as pessoas as empresas não são nada. O caminho que hoje percorremos e a mudança que hoje fazemos para termos um mundo melhor, para todos, devemos a si.

Sabemos que ainda temos um caminho longo pela frente, porque os nossos objetivos não se conquistam num dia no ano. Um mundo mais justo e sustentável só é possível se entendermos que este é um compromisso de todos, feito aos bocadinhos, todos os dias.

Não se esqueça que, ao nosso lado, faz parte da mudança. Todos os dias, a cada passo que damos no rumo certo.

Diga-nos o que achou
0Gosto0Adoro0Haha0Wow0Tristeza0Aborrecido