Gás natural em portugal: como funciona e como aderir

Há alguns anos que o setor do gás natural vive na sombra do seu “irmão mais velho”, o setor elétrico, mas atualmente já é considerado um dos grandes protagonistas do cenário energético mundial. Neste artigo vamos explicar tudo o que precisa de saber sobre o gás natural em Portugal.

Gás natural em Portugal: como funciona

Portugal importa 100% do gás natural que utiliza, por não ter recursos significativos nesta área. O gás natural é extraído do subsolo através de poços (à semelhança do petróleo), que podem ser terrestres ou submarinos. Para chegar ao nosso país, o gás atravessa milhares de quilómetros, podendo ser transportado de duas formas:

– Navios-tanque GNL: antes do transporte o gás é arrefecido até ficar líquido. Quando chega ao destino entra em terminais onde é novamente transformado em gás.

– Gasodutos: tubagens enterradas a um metro de profundidade. Aqui o gás é comprimido e desloca-se a 30km/h, muitas vezes por milhares de quilómetros.

Depois de chegar a Portugal, o gás recebe uma molécula odorífera para permitir detetar mais facilmente fugas e emissões acidentais. Porque originalmente o gás não tem nenhum cheiro.

O gás passa então da rede de transporte para a rede de distribuição, assegurando o abastecimento das nossas casas e empresas. Saiba mais no site da ERSE.

Gás natural no mercado livre em Portugal

De acordo com a ERSE, a primeira fase da construção do mercado interno de gás natural remonta à década de noventa, “nomeadamente através da Directiva 90/377/CEE de 29 de Junho de 1990, que estabelece um processo comunitário para assegurar a transparência dos preços ao consumidor industrial de gás e de eletricidade, cujo objetivo era a promoção da livre escolha dos fornecedores por parte destes consumidores”. O objectivo passava também por ter  trânsito de gás natural nas grandes redes, para facilitar o aumento das trocas, tendo sempre em consideração a qualidade e a segurança do abastecimento.

O que é necessário para ter gás natural em casa

Para que possa ter gás em casa só tem que validar estes passos:

1 – Primeiro, é necessário que exista rede pública de distribuição de gás natural junto ao local de consumo;
2 – Em segundo lugar deve existir um ramal de ligação na habitação;
3 – Em terceiro, a habitação já tem de ter uma rede interna preparada para gás natural e certificada por uma entidade inspetora;
4 – Em quarto lugar, deve ser atribuído por parte do ORD um código universal de instalação (CUI) ao seu local de consumo;
5 – Por fim, com todos os pontos enumerados até agora já existentes, já pode realizar um contrato com uma empresa comercializadora de gás natural.

Reunidos os pressupostos anteriores, a Operadora de Rede de Distribuição da área geográfica do cliente efetua a montagem do contador e a abertura de gás no dia e hora em que o cliente agendou com a sua Comercializadora.

Ainda não tenho contador de gás

Se a habitação estiver localizada na rede pública de distribuição e já possuir a rede interna preparada para receber o gás natural, o Cliente deve contactar o Operador da Rede de Distribuição (ORD) da sua área de residência, e solicitar a instalação do contador para ser realizada a ligação ao ramal. Veja aqui quais são.

No caso de não existir rede de distribuição junto à habitação, terá de ser avaliada a situação pelo ORD quanto à viabilidade de execução de rede de distribuição e do ramal de ligação, nomeadamente a aplicação dos conceitos de acesso à rede previstos nos regulamentos da entidade reguladora – ERSE. Existindo viabilidade para a execução da rede de gás e do ramal, estas infraestruturas podem estar sujeitas a encargos a suportar pelo requisitante, previstos nos regulamentos.

Já tenho contador, o que devo fazer agora?

Agora deve realizar um contrato com a comercializadora. Experimente o nosso simulador e perceba qual a melhor para si.
Depois, só precisa de fornecer os seus dados pessoais e os da habitação, e a comercializadora trata de tudo de forma rápida e fácil. Se pretender contratar com a Goldenergy, o processo demora 7 minutos. Só precisa de preencher o nosso formulário de adesão.

Preciso de fazer uma inspeção?

Temos de ter em atenção que o gás é uma matéria inflamável de difícil deteção, por isso é considerado um elemento perigoso e que merece uma especial atenção.

Quando vamos para uma nova habitação é obrigatória a inspeção de gás, assim como no decorrer dos anos é importante fazer essa inspeção esporadicamente para certificar que tudo continua seguro e que podemos estar em tranquilidade.

Numa alteração de titularidade aconselhamos também a fazer a inspeção, pois não sabemos a degradação da tubagem ou do resto dos equipamentos e queremos garantir a segurança da sua família.

Saiba ainda como mudar de comercializador de energia.

Diga-nos o que achou
3Gosto0Adoro0Haha0Wow1Tristeza1Aborrecido